Quarta-feira, 23 de setembro de 2020 - Líder do Sul >> Notícias
04/10/2011 14:28

O mês de setembro termina com o mercado de arroz claramente desinteressado pelos mecanismos do governo federal. Há uma semana não houve interesse das indústrias no leilão de compra e venda simultânea de arroz, que se destina à exportação. Produto de estoques velhos 2006/07 foram ofertados em troca de arroz industrializado para doações humanitárias. Mas, a relação não foi considerada atraente pela indústria. A Conab já abriu novo edital para a próxima terça-feira, quando oferta 17,7 mil toneladas de arroz das safras 2005, 2006 e 2007.

06/09/2011 09:52

Nos 20 primeiros dias, cotações subiram 4%, mas recuaram com a resistência do varejo em reajustar os valores à indústria, com o aumento da oferta pelos produtores que não conseguiram negociar as dívidas e assegurar novo custeio para a próxima safra. Setembro começa com preços estáveis

Os preços médios do arroz em casca em agosto subiram 2,18%, segundo o indicador de preços do arroz em casca Esalq/Bolsa Brasileira de Mercadorias – BM&FBovespa. Em 31 de agosto a cotação média de uma saca de 50 quilos de arroz em casca (58x10), valia R$ 23,39, o equivalente a US$ 14,68, pela cotação do dia. Ao longo do mês as cotações valorizaram, mas a segunda quinzena registrou decréscimo, gerando uma perda de quase 50% da valorização obtida até o dia 20 de agosto, em torno de 4%.

O aumento da oferta pelos arrozeiros, a retirada das grandes indústrias do mercado, a dificuldade do segmento industrial em repassar a alta da matéria-prima para o varejo, são fatores determinantes para esse movimento. A oferta aumentou porque os termos da renegociação de dívidas de arrozeiros estipulados pelo governo federal não foram acatados por muitas instituições financeiras. Estas, para liberarem novo custeio, exigem a quitação dos financiamentos em aberto e a apresentação de novas garantias. Raros produtores conseguem enquadramento.

28/07/2011 11:27

Os preços do arroz em casca seguem em ritmo de recuperação no mercado gaúcho há pouco mais de um mês, segundo levantamentos do Cepea. Entre 18 e 25 de julho, o Indicador do Arroz Esalq/Bolsa Brasileira de Mercadorias-BM&F (Rio Grande do Sul, 58 grãos inteiros) teve aumento de 2,42%, fechando a R$ 22,47/sc de 50 kg, na segunda-feira, 25. Na parcial de julho, a alta do Indicador é de 10,7%. Diante das elevações, produtores têm se retraído, à espera de aumentos ainda maiores para, então, negociar. De modo geral, orizicultores gaúchos realizaram vendas apenas conforme a necessidade de “fazer caixa”, tendo em vista a prorrogação dos pagamentos de custeio. Além disso, agentes consultados pelo Cepea relatam vendas de arroz para a efetivação do instrumento de governo, por meio do Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) a preço maior que os das médias regionais. Indústrias, por sua vez, ofertam preços maiores para o arroz em depósito nos armazéns e para o “livre” (depositado nos armazéns dos produtores); mesmo queixando-se das dificuldades de repasse das altas do casca para o beneficiado.

 

Fonte: Noticias Agrícolas

09/05/2011 11:41

Preços ficam mais estáveis com o final da safra gaúcha, a ação de mecanismos do governo, prorrogação de financiamentos e expectativa de contratos de opção. E os analistas já começam a falar em recuperação

Depois de amargar uma queda vertiginosa de 12% em março, e mais 3,47% de desvalorização em abril, tudo indica que as cotações do arroz no Rio Grande do Sul chegaram muito próximo de seu limite inferior em maio. Nas duas últimas semanas tem sido verificada relativa estabilidade dos preços. Até esta quinta-feira, cinco de maio, o Indicador do Arroz Cepea - Bolsa Brasileira de Mercadorias/BVM&F (Rio Grande do Sul, 58 grãos inteiros) devalorizou mais 0,42%, registrando preço médio de R$ 19,14, pela saca de 50 quilos em casca, colocada na indústria gaúcha. Na média semanal, houve o decréscimo de apenas um centavo. De R$ 19,17 para R$ 19,16.

15/03/2011 08:48

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, em fevereiro, o Brasil exportou 64,2 mil toneladas de arroz (base casca), totalizando 627,7 mil toneladas no ano comercial 2010/11 (entre março/2010 e fevereiro/2011).

De acordo com a Equipe de Política Setorial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), o montante exportado é maior do que a média dos últimos cinco anos (de 566,2 mil t), mas abaixo do resultado atingido nos últimos dois anos. Cabe destacar, que houve predomínio do arroz quebrado nas vendas externas (com 65,3% do total), seguido do beneficiado parboilizado (com 24% do total) e do beneficiado não parboilizado (7,3% do total).

29/11/2010 12:54

O preço médio da saca perdeu um centavo, fixado em R$ 25,44 ao produtor, mesmo com a realização do leilão do PEP

A Emater gaúcha deu por concluída a etapa de semeadura da lavoura de arroz do Rio Grande do Sul para a safra 2010/11. Segundo a instituição, o processo foi encerrado de maneira bastante
antecipada. A empresa reconhece, no entanto, que alguns "poucos quadros" que apresentaram problemas de uniformidade na germinação, por causa da falta de umidade em algumas regiões, em razão da estiagem, poderão ainda receber sementes.

Nas lavouras mais adiantadas, a Emater/RS conisdera que o bom volume de água acumulado nas barragens ao longo do ano possibilita uma irrigação sem problemas, dando condições de
desenvolvimento vegetativo às plantas, dentro da normalidade.

29/11/2010 12:53

O clássico arroz com feijão, filé, batata frita e ovo frito com salada registrou aumento maior que inflação calculada pelo IPCA-15 deste mês

O prato mais tradicional entre os brasileiros ficou 16,7% mais caro neste ano. O clássico arroz com feijão, filé, batata frita e ovo frito com salada registrou aumento maior que inflação calculada pelo IPCA-15 deste mês. A alta equivale a três vezes a variação da inflação do mesmo período, que ficou em 5,47%.

16/11/2010 09:11

Segundo o presidente do Irga, Maurício Fischer, a semeadura está adiantada pela primeira vez, apesar do frio

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) divulgou nesta sexta-feira (12), os números oficiais do avanço da semeadura no Estado. O último levantamento mostra que a área cultivada atingiu 92,49%, o que representa 1.061.406 hectares cultivados. O total da área prevista para a safra 2010/11 é de 1.147.564 hectares.

Segundo o presidente do Irga, Maurício Fischer, a semeadura está adiantada pela primeira vez, apesar do frio, as chuvas contribuíram para a uniformização da emergência das plantas e a umidade do solo deve permitir o final do plantio dentro da época recomendada para o alcance de altas produtividades para a lavoura de arroz.

A Zona Sul é a região mais avançada com 99%, seguindo a Fronteira Oeste com 97,6%. A região da Campanha está com 95,7% da área cultivada e a Depressão Central com 82%. A Planície Costeira Interna está com 84,7% e a Planície Costeira Externa tem 88% do processo finalizado.

Fonte: Planeta Arroz

08/11/2010 11:49

O mais recente levantamento mostra que a área cultivada atingiu 85%, o que representa 977.689 hectares cultivados. O total da área prevista para a safra 2010/11 é de 1.146.380 hectares

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) divulgou nesta sexta-feira (12), os números oficiais do avanço da semeadura no Rio Grande do Sul. O mais recente levantamento mostra que a área cultivada atingiu 85%, o que representa 977.689 hectares cultivados. O total da área prevista para a safra 2010/11 é de 1.146.380 hectares. A recomendação do Irga é que os produtores finalizem a semeadura até a primeira quinzena de novembro para que na fase reprodutiva a absorção solar seja mais eficaz.

08/11/2010 11:48

Na média do Rio Grande do Sul - principal referencial nacional -, a saca de 50 quilos de grãos em casca fechou a R$ 25,40, contra R$ 25,45 na semana anterior

O mercado brasileiro de arroz encerrou a primeira semana do mês de novembro com preços 0,2% inferiores ao fechamento de outubro. Na média do Rio Grande do Sul - principal referencial nacional -, a saca de 50 quilos de grãos em casca fechou a R$ 25,40, contra R$ 25,45 na semana anterior.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, os preços internacionais vêm se recuperando e o quadro de abastecimento interno é apertado, o que, em tese, garantiria uma reação das cotações. "Porém, em plena entressafra, o mercado opera com os menores níveis desde junho de 2009 e abaixo do mínimo estabelecidos pelo governo, de R$ 25,80 por saca", lembra.

Na média do Rio Grande do Sul - principal referencial nacional -, a saca de 50 quilos de grãos em casca fechou a R$ 25,40, contra R$ 25,45 na semana anterior

O mercado brasileiro de arroz encerrou a primeira semana do mês de novembro com preços 0,2% inferiores ao fechamento de outubro. Na média do Rio Grande do Sul - principal referencial nacional -, a saca de 50 quilos de grãos em casca fechou a R$ 25,40, contra R$ 25,45 na semana anterior.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, os preços internacionais vêm se recuperando e o quadro de abastecimento interno é apertado, o que, em tese, garantiria uma reação das cotações. "Porém, em plena entressafra, o mercado opera com os menores níveis desde junho de 2009 e abaixo do mínimo estabelecidos pelo governo, de R$ 25,80 por saca", lembra.
61 notícias - exibindo 1 a 10
©2009 - Líder do Sul Alimentos Ltda. BR 471 s/n km 161 - Distrito Industrial
Rio Pardo / RS / Brasil - CEP: 96640-000 - Fone: (51) 3731-2100
Desenvolvido por Oxigênnio Soluções em T.I.